Agosto: “mês do cachorro louco”

cachorroAlém de crenças populares e fatos históricos, doença canina também é uma das razões para o apelido.

Mês do desgosto, do azar, de energias negativas. Agosto é repleto de superstições e crenças populares, é difícil encontrar alguém que nunca tenha escutado algo que o relacione à falta de sorte ou medo.

Fatos históricos como o início da Primeira Guerra Mundial em 1º de agosto de 1914, os ataques norte-americanos às cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki em 6 e 9 de agosto de 1945, o suicídio de Getúlio Vargas em 24 de agosto de 1954, o começo da construção do Muro de Berlim em 13 de agosto de 1961 e a morte de Juscelino Kubitschek em um acidente de carro em 22 de agosto de 1976, colaboram para que o estigma de que é um mês de azar se mantenha e para que seja rotulado como “mês do cachorro louco”.

Mas o que muitos não sabem é que esses não são os únicos motivos para o apelido nada carinhoso. A expressão “cachorro louco” também relaciona-se à raiva, doença transmitida pela saliva dos cães.

Tudo isso, porque as condições climáticas de agosto fazem com que o número de cadelas no cio aumente. E quando as fêmeas estão no período fértil, os cães costumam brigar para conquistá-las e muitas vezes travam lutas ferozes para conseguir vencer a disputa pela amada. Embora o contágio pela raiva aconteça durante todo o ano, essas lutas facilitam a transmissão e colaboram com o aumento de casos da doença em cães.

A raiva é provocada por vírus, caracterizada por sintomas nervosos. O cão doente fica perturbado, com alucinações, passa a enxergar perigo em todas as situações, fica com aspecto raivoso e agitado, são desses sintomas que surge o apelido ao mês.

A doença está sob controle, mas lembre-se que não foi totalmente erradicada, por isso é necessário que os cachorros tomem a vacina antirrábica. Se perceber algum dos sintomas no seu cão, procure um médico veterinário.

Fonte: Revista Mundo dos Bichos

(13)