Santana do Livramento

Parque InternacionalSantana do Livramento  é um município do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 30º53’27” sul e a uma longitude 55º31’58” oeste, estando a uma altitude de 208 metros e a uma distância de 498 km da capital Porto Alegre, a 500 km de Montevidéu (capital do Uruguai), 634 km de Buenos Aires (capital da Argentina), 2 434 km de Brasília(capital do Brasil) e 380 km do porto de Rio Grande.

No último censo realizado, Livramento apresentou um dos maiores índices de evasão populacional em todo o estado (-9,18%). Em números absolutos, se destaca na estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, tendo perdido mais de 8 000 habitantes desde o censo de 2000, caindo de 90 849 pessoas para 82 513 habitantes. Possui uma área de 6 950, 37 km², sendo o segundo maior município gaúcho.

Faz parte da Região da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, destacando-se na pecuária (bovinos e ovinos) e na produção de arroz e soja. Mais recentemente, vem ampliando a produção frutífera, com destaque para a vitivinicultura.

Em 2009, foi declarada oficialmente pelo governo brasileiro como a cidade-símbolo da integração brasileira com os países membros do Mercosul.

Município de Santana do Livramento

Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Sudoeste Rio-grandenseIBGE/2008
Microrregião Campanha Central IBGE/2008
Municípios limítrofes Rivera, Dom Pedrito, Quaraí eRosário do Sul.
Distância até acapital 498 km
Características geográficas
Área 6 950,370 km² (BR: 211º)
População 82 513 hab. Censo IBGE/20103
Densidade 11,87 hab./km²
Altitude 208 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH 0,803 elevado PNUD/2000
PIB R$ 888 848,986 mil IBGE/20085
PIB per capita R$ 10 484,31 IBGE/20085

Bandeira Brasão de Santana do Livramento

História

Os primeiros ocupantes conhecidos da região do atual município foram os índios charruas e minuanos. Em seguida, vieram jesuítas espanhóis, depois ao longo do século XIX vieram imigrantes portugueses e italianos. Em 1810, a instabilidade política que levaria à independência das colônias espanholas na Bacia Platina motivou a vinda de tropas portuguesas para a região, com a finalidade de resguardar a fronteira luso-espanhola. Essas tropas, comandadas por Diogo de Sousa, conde de Rio Pardo, deram início à atual cidade de Santana do Livramento, através da construção de uma capela dedicada à santa homônima. A povoação portuguesa permanente da região iniciou-se com a doação de sesmarias feitas pelo Marquês de Alegrete, em 18147 . Fundada a cidade em 30 de julho de 1823, foi elevada à categoria de município em 1857, emancipando-se de Alegrete.

Santana do Livramento situa-se na fronteira do Brasil com o Uruguai; do outro lado da divisa seca (uma rua urbana), situa-se Rivera. É um dos municípios mais antigos, históricos e o segundo maior em extensão territorial do Rio Grande do Sul. Atravessou períodos de grande prosperidade, quando despontavam grandes lanifícios, frigoríficos, organizações sociais e clubes de futebol. Lentamente, a economia foi fenecendo, por múltiplas razões, dentre as quais podem ser citadas: isolamento (distância de outros centros econômicos expressivos), visão centralista (na política, na indústria, no comércio, na organização territorial), opção econômica voltada centralmente para a agropecuária e o comércio, sem ênfase ao desenvolvimento da indústria, que realiza o papel de “ponte” entre as atividades anteriores e posteriores citadas.

Livramento registra mais de 100 quilômetros de faixa de fronteira seca com o Uruguai.

Em 1912, passou a ter a primeira estação de trem do Brasil com tráfego internacional, entre Santana do Livramento e Rivera (Uruguai), fazendo com que os trens pudessem ligar Rio de Janeiro e São Paulo a Montevidéu e Buenos Aires. Atualmente, o Trem Internacional encontra-se desativado.

A área do município localizada entre o Rio Quaraí e o Arroio Invernada (denominada como Rincão de Artigas) é reclamada pelo governo do Uruguai desde 1934.

Economia

Sua economia baseia-se no comércio, na agricultura, na pecuária e na viticultura. Constitui com a cidade vizinha Rivera, no Uruguai, uma conurbação binacional, denominada Fronteira da Paz, que soma cerca de 140.000 habitantes.

Agropecuária

A atividade principal é a pecuária (ovina e bovina) com produção de carne para os principais frigoríficos do Estado, seguida pela agricultura(arroz e soja), bem como a fruticultura, com ênfase na produção de peras, pêssegos, uvas viníferas e de mesa (em início), ameixas,morangos, melancia (exportando toneladas para São Paulo), mamão, melão, entre outras frutíferas. Há também uma bacia leiteira em franca expansão, com parte do leite sendo adquirido por um laticínio de Pelotas. O município tem potencial para grande produção dada sua vocação pastoril e a crescente qualidade dos rebanhos Jersey e Holandês, sobretudo.

Comércio

O recente processo de globalização da economia acentuou as dificuldades do município. O comércio nos “free shops” de Rivera varia conforme as flutuações do dólar estadunidense. Expressiva parcela da população está desempregada, o que pode ser claramente percebido pela quantidade de comerciantes informais nas ruas. O comércio santanense sofre com a forte concorrência dos free shops uruguaios, pois lá são oferecidos produtos de boa qualidade por preços muito menores do que no Brasil.

Produção de vinhos

A cidade de Santana do Livramento, está situada sobre o famoso “paralelo 31”, com terras e clima propícios para a produção de frutas, principalmente uvas. Tal recomendação, a de que as terras da região da campanha seriam propícias à produção de uvas, foi feita há muitas décadas atrás, em universidades dos Estados Unidos. Com base nesses estudos, uma companhia do estado norte-americano da Califórnia, produtora dos vinhos “Almadén”, procurou inicialmente terras na região de Bagé; devido a dificuldades de compra, aceitou oferta de terras no distrito de Palomas, pertencente ao município de Santana do Livramento.

Desta forma, em 1974 a Almadén iniciou um grandioso projeto, após mais de 10 anos de preparação e seleção de variedades de uvas. Os primeiros varietais finos com a marca Almadén foram lançados no Brasil em 1983. Os vinhos são produzidos no local, a partir de produção própria de uvas, usando o recurso de espaldeiras, em mais de 500 hectares. São colhidos anualmente de 6 a 8 milhões de toneladas de uvas, que geram quantidade semelhante de vinhos, produzidos a partir de uvas de variedades como riesling, ugni blanc, gewurtztraminer, gamay beaujolais, cabernet, merlot e cabernet sauvignon. A Almadén foi recentemente adquirida pela Vinícola Miolo, passando a fazer parte, então, do Miolo Wine Group.

Os vinhos da empresa são consumidos no mercado nacional, em que São Paulo desponta como principal estado comprador, com mais de 60 por cento do total, seguido por Minas Gerais, com outros 15 por cento. Em virtude do fechamento da fábrica de vidros Vifosa, localizada em Canoas, há alguns anos, a empresa passou a engarrafar os vinhos em São Paulo; naquele estado, o imposto sobre produção de vinhos também é menor (12 por cento, contra 17 por cento do Rio Grande do Sul); com tal decisão, a unidade de Santana do Livramento diminuiu seu quadro de pessoal de aproximados 800 para meros 100 funcionários; também transferiu quase a totalidade do seu valor adicionado para lá, acarretando enorme impacto negativo sobre o retorno de impostos para Santana de Livramento. Tais problemas poderiam ser revertidos com uma política mais forte do governo gaúcho, em aspectos estratégicos (visando obter de volta uma fábrica de vidros) e fiscais (diminuindo impostos de setores e produtos específicos, para enfrentar objetivamente “guerras fiscais” estabelecidas unilateralmente por Estados).

Religião

A maioria da população santanense se declara católica romana. No entanto nos últimos anos verificou-se no município um grande crescimento do número de protestantes do ramo pentecostal e tradicional, com destaque para as; Igreja Assembleia de Deus, Igreja Metodista Wesleyana, Igreja do Evangelho Quadrangular, Deus é Amor, Igreja Batista Nacional, Igreja Internacional da Graça de Deus, Congregação Cristã do Brasil, entre outras.

Outras linhas, também presentes que fazem parte da cultura Brasileira: Umbanda, Espiritismo “Kardecismo”. Dentro da pluralidade do Brasil, Sant’Ana do Livramento também possuem pequenos grupos de outros credos como muçulmanos, oriundos de países do Oriente Médio e hindus, vindos da Índia.

Esportes

Futebol

Em Santana do Livramento, o futebol é o esporte mais popular entre a população e lá foi fundado em 14 de julho de 1902, o Esporte Clube 14 de Julho é terceiro clube de futebol mais antigo em atividade do Brasil, atrás apenas de Rio Grande e Ponte Preta (ambos fundados em 1900), e o primeiro clube brasileiro a vencer um torneio internacional: a Copa La France, em 1909.

Outros esportes

A cidade possui o mais antigo campo de golfe do Rio Grande do Sul, fundando em 4 de julho de 1917 com o nome de “Armour Golfe Clube”, passando a se chamar posteriormente de “Clube Campestre de Livramento” em 1959. É o terceiro clube de golfe mais antigo do país, sendo mais novo apenas que o São Paulo Golf Club (1901) e o Santos São Vicente Golf Club (1915)9 .

O futebol 7 foi criado em 1965 em Santana do Livramento, onde ocorreu 1º Campeonato Regional. Na ocasião, foi criada, também, a primeira regra oficial desse esporte de que se tem registro.

Ensino Superior

Santana do Livramento conta com sete instituições de ensino superior, sendo três particulares: Universidade da Região da Campanha, Universidade Paulista/Cultural e Universidade Castelo Branco/Exattus (as últimas duas, de ensino a distância). As públicas são: Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Universidade Federal de Santa Maria, Universidade Aberta do Brasil e Universidade Federal do Pampa. São oferecidos os seguintes cursos:

UERGS

– Tecnologia em Agropecuária Integrada

– Tecnologia em Agroindústria

UNIPAMPA

– Administração

– Tecnologia em Gestão Pública

– Relações Internacionais

– Ciências Econômicas
UAB À distância

– Licenciatura em Sociologia

– Agricultura Familiar

– Educação Especial

– Administração Pública

– Automação Industrial

– Matemática

– Geografia

– Pedagogia

– Português

– Espanhol

– Informática
URCAMP

– Administração de Empresas

– Sistemas de Informação

– Ciências Biológicas

– Ciências Contábeis

– Direito

– Engenharia Civil

– Letras

– História

– Pedagogia

– Matemática
UNIP À distância através do Cultural Santanense
GRADUAÇÃO

– Administração

– Ciências Contábeis

– Letras – Licenciatura em Português/Inglês

– Letras – Licenciatura em Português/Espanhol

– Matemática

– Pedagogia

– Serviço Social

– Logística

Marketing

– Processos Gerenciais

– Gestão de Recursos Humanos

– Gestão da Tecnologia da Informação

– Gestão Financeira
PÓS-GRADUAÇÃO

– Administração de Recursos Humanos

– Administração Geral

Marketing

– Administração Hospitalar

– Gestão das Políticas Sociais

– Direito Ambiental

– Direito Civil

– Direito do Consumidor

– Direito do Trabalho

– Direito Empresarial

– Direito Imobiliário 

– Direito Penal 

– Direito Previdenciário 

– Direito Processual 

– Direito Tributário 

– Formação de Professores para o Ensino Superior 

– Formação de Educadores em Diabetes 

– Interpretação da Língua Brasileira de Sinais – Libras 

– Psicopedagogia Institucional 

– Tecnologia Da Informação 

– Tecnologia de Informação para Estratégia de Negócios


UCB À distância através da Exattus

– Administração 

– Letras

Santanenses ilustres

  • Antônio Britto, ex-governador do Rio Grande do Sul.
  • Carlos Urbim, escritor e jornalista da RBS TV.
  • Lineu Dias, ator
  • Nélson Gonçalves, cantor e compositor
  • Kenny Braga, jornalista esportivo da Rádio Gaúcha e torcedor colorado ilustre.
  • Jadson Viera, futebolista
  • José Antonio Flores da Cunha, general, estancieiro, advogado, senador e ex-governador do Rio Grande do Sul.
  • Juremir Machado da Silva, jornalista, escritor e professor universitário da PUC-RS.
  • Paixão Côrtes, folclorista e tradicionalista gaúcho.
  • Paulo Leivas Macalão, compositor evangélico brasileiro.
  • Percival Puggina, político e jornalista.
  • Rivadávia da Cunha Correia, político e ex-ministro da Fazenda no governo do presidente Hermes da Fonseca.
  • Roberto Kovalick, jornalista, repórter e correspondente internacional da Rede Globo no Japão.

(1572)

Deixe uma resposta