Li-Fi acaba de ser testada no mundo real, e é 100 vezes mais rápida do que Wi-Fi

li-fi-838x558Você já ouviu falar da Li-Fi? É uma tecnologia sem fio que transmite dados em alta velocidade utilizando “comunicação de luz visível” (VLC, na sigla em inglês).

Inventada por Harald Haas, da Universidade de Edimburgo, na Escócia, em 2011, a transmissão é feita piscando a luz de um único LED. Haas demonstrou que esse método pode enviar muito mais dados do que uma torre de celular.

O registro baseado em laboratório é de 224 gigabits por segundo – cerca de 18 filmes de 1,5 GB sendo transferidos a cada segundo! (Eu sei. Dá vontade de chorar quando você lembra que sua realidade é muito diferente deste sonho).

Ou seja, o potencial de transformação da internet desta tecnologia é enorme.

O teste no mundo real

Agora, os cientistas finalmente levaram o Li-Fi para fora do laboratório. A tecnologia está sendo testada em escritórios e ambientes industriais em Tallinn, na Estônia, com transmissão de dados de 1 GB por segundo – o que é 100 vezes mais rápido do que a média atual de velocidade do Wi-Fi.

Para utilizar a VLC, os pesquisadores projetaram uma solução de iluminação inteligente para um ambiente industrial, onde a comunicação de dados é feita através da luz visível entre 400 e 800 terahertz (THz).

Funciona basicamente como uma forma incrivelmente avançada de código Morse – assim como um determinado padrão de traços pode transmitir uma mensagem secreta, ligar e desligar uma luz LED em velocidades extremas pode ser um método usado para escrever e transmitir dados em código binário.

Não se preocupe, sua casa ou escritório não vai piscar constantemente – tais velocidades extremas são imperceptíveis a olho nu.

Ainda vai demorar

Além das velocidades potencialmente muito mais rápidas, como a luz não pode passar através das paredes, a rede torna-se muito mais segura e há menos interferências entre os dispositivos.

Apesar de todos esses benefícios, o Li-Fi provavelmente não irá substituir completamente o Wi-Fi nas próximas décadas. Isso porque nossas casas, escritórios e edifícios industriais já são equipados com infraestrutura para fornecer Wi-Fi, e substituir tudo com a tecnologia Li-Fi não é particularmente viável.

Ao invés disso, as duas tecnologias podem ser utilizadas em conjunto para alcançar redes mais eficientes e seguras. Aos poucos, uma mudança maior deve ocorrer.

Os primeiros passos

Haas e sua equipe já estão trabalhando em uma forma comercial da tecnologia, a PureLiFi, que oferece um aplicativo para acesso seguro à internet sem fio com uma capacidade de 11,5 MB por segundo, o que é comparável a primeira geração de Wi-Fi.

A empresa Oledcomm também está no processo de instalação de sua própria tecnologia Li-Fi em hospitais da França.

Dentro de alguns anos, o sonho de Haas pode se tornar realidade.

“Tudo o que precisamos fazer é encaixar um pequeno microchip em cada dispositivo de iluminação potencial e este, então, vai combinar duas funcionalidades básicas: iluminação e transmissão de dados sem fio”, disse o visionário em uma palestra do TED Talks em 2011. “No futuro, não teremos apenas 14 bilhões de lâmpadas, teremos 14 bilhões de Li-Fis implantados em todo o mundo para um futuro mais limpo, mais verde e ainda mais brilhante”.

Fonte: ScienceAlert

(3)